O branco deixado pela morte da crítica Bella Jozef

Mariluci Guberman

www.globo.com

Bella JozefA inesperada partida da pesquisadora, professora e crítica literária Bella Karacuchansky Jozef (1925-2010), Professora Emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1996, deixa uma página em branco nas Letras. Difícil tratar de uma intelectual com prêmios recebidos no Brasil e no exterior e inúmeros artigos e ensaios desenvolvidos no decorrer de sua carreira. Feliz, devido ao apreço e à satisfação de ter podido trabalhar e conviver com uma intelectual de seu gabarito e, acima de tudo, como o ser humano Bella Jozef.

Dentre sua incontável produção crítica, cabe selecionar os livros de sua autoria, porque são fontes de saber e enriquecem a formação e o aperfeiçoamento do estudioso de literaturas. Levaram-me também e essa escolha palavras suas registradas em uma dedicatória de sua obra, "O espaço reconquistado" (1974): "páginas de amor à América e a sua literatura". Livro este reeditado, que trata do resgate do espaço hispano-americano na literatura, através da fundação de uma nova linguagem, uma linguagem plurissignificativa, que critica a si mesma e dá voz às etnias formadoras da realidade da América Hispânica.

"História da Literatura Hispano-Americana", já em sua 4ª edição e também publicado no México, é um livro de cabeceira de todo estudioso da literatura da América Hispânica. Esta obra, escrita em vinte anos de dedicação da Professora Bella, situa, comenta e esclarece a produção literária hispano-americana desde a época pré-colombiana até os dias atuais. Quanto ao "Romance Hispano-Americano", livro publicado em 1986, embora restrito a um só gênero, aprofunda e especifica os diversos tipos de romance a partir do século XVIII até o XX.

Ao se falar da literatura da América de língua espanhola, é imprescindível um paralelo com a da América de língua portuguesa, representada pelo Brasil, objeto de estudo de mais um livro da Professora Bella Jozef: "A máscara e o enigma" (1986), em que o tema central é a modernidade latino-americana. Ainda no contexto da América Latina, a pesquisadora apresenta, em "O jogo mágico" (1980), uma intrigante investigação pela sedução do jogo da linguagem.

Devem-se ressaltar, também, as críticas literárias feitas por Bella Jozef em diversos jornais e revistas, assim como a organização de várias antologias e suas introduções, podendo-se assinalar a "Antología General de la Literatura Brasileña" (1995), publicada no México.

Bella Jozef escreveu ainda sobre o mestre da ficção moderna, Jorge Luis Borges (1996), intelectual humanista ao qual muito devem as Letras. Para a pesquisadora, Borges “foi a ponta de lanças da nova literatura hispano-americana”, preparou o caminho de inúmeros escritores.

Em sua trajetória acadêmica, Bella Jozef conheceu diversos escritores e desses contatos brotaram entrevistas, reunidas em "Diálogos oblíquos" (1999), obra que revela a perspicácia e a visão crítica da pesquisadora.

Entre as obras, Romance, Enigma, Jogo, Ficção, Espaço, História e Diálogo, percebe-se que a Professora Bella, ao partir para o estudo do romance hispano-americano, procurou desvendar e explicar os enigmas do jogo da linguagem, conquistando, assim, um espaço muito significativo na história da literatura hispano-americana, reconhecido internacionalmente. Se por um lado há uma página em branco nas Letras, Bella Jozef nos lega muitas páginas expressivas para o mundo das Letras.


*MARILUCI GUBERMAN é Pesquisadora e Professora do Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas da UFRJ

Top of page